sábado, 17 de abril de 2010

Performance "Passos"

A todo momento nos apropriamos dos meios em que convivemos, deixando nossas marcas, captando sensações, dialogando constantemente com aquilo que nós mesmos construimos. A proposição da performance como apropriação de um espaço específico da Escola de Arquitetura da UFMG, nos leva a crítica deste comportamento comum a todos nós.

O exercício da performance foi desenvolvido em grupo e nossa base conceitual é consequente da percepção acústica de uma ala específica da escola, que acabara de receber um novo aparato, uma rampa de compensado para o acesso de cadeirantes. Por consequência do próprio material, notamos que cada um que passava pela rampa emitia um som, pois cada um tinha um calçado, um ritmo, um jeito de andar específicos. Segue abaixo algumas imagens do cenário da performance.




Como próprio do homem pós-moderno, cada integrante do grupo individualizou-se como um personagem com características específicas. Cada um andando a sua maneira, com seu calçado, com seu ritmo, como se estivessem em um ambiente conturbado. Sendo assim, como apropriação deste espaço, a performance "Passos" traduz a singularidade e multiplicidade das expressões gestuais e seu resultado sonoro no percurso diário de cada indivíduo.

A projeção feita sobre a superfície vertical da rampa reforça a imersão de todos envolvidos na apresentação, quando redundantemente apresenta andarilhos das mais diversas características.

Logo abaixo o vídeo da exposição que também pode ser visto em meu Vimeo.
A performance pode ser também vizualizada pelo registro feito por um dos integrantes do grupo, Pedro flora através do vídeo no YouTube.

video

Créditos ao vídeo projetado
Ariane Vee - Mannheim City Feet


Nenhum comentário:

Postar um comentário